O ALCOOLISMO A LUZ DA BÍBLIA


5.  O Alcoolismo à Luz da Bíblia

Texto Bíblico
“Porque as obras da carne são manifestas, as quais são: adultério, prostituição, impureza, lascívia, Idolatria, feitiçaria, inimizades, porfias, emulações, iras, pelejas, dissensões, heresias, Invejas, homicídios, bebedices, glutonarias, e coisas semelhantes a estas, acerca das quais vos declaro, como já antes vos disse, que os que cometem tais coisas não herdarão o reino de Deus”. (Gl. 5: 19 -21)

INTRODUÇÃO
      Nessa lição que passaremos a estudar observaremos um assunto de grande importância para a igreja hodierna.
A abstinência as bebidas que contenham  álcool já é quase que uma unanimidade  entre os evangélicos dos EUA e da América Latina, sobretudo entre pentecostais.  Mas, também entre os cristãos reformados e tradicionais, já é  defendida como virtude, com vistas ao bom testemunho cristão diante da comunidade não cristã.  A igreja Cristã Brasileira tem sido muitas vezes confrontada com perguntas desse tipo: O crente pode Beber? É pecado beber ou se embriagar? Tomar uma cerveja que não tem álcool pode? Essas e outras perguntas tentarão esclarecer ao longo dessa lição.

1 ALCOOLISMO É DOENÇA?

     Desde 1967, a OMS (Organização Mundial da Saúde) considera o alcoolismo uma doença e recomenda que as autoridades encarem o assunto como questão de saúde pública. “essa doença desastrosa tira a liberdade do indivíduo de optar pelo consumo ou não de bebida alcoólica”, explica o psiquiatra do Einstein, Drº Sérgio Nicastri. Do ponto de vista médico, o alcoolismo é uma doença crônica, com aspectos comportamentais e socioeconômicos, caracterizada pelo consumo compulsivo de álcool, na qual o usuário se torna progressivamente tolerante à intoxicação produzida pela droga e desenvolve sinais e sintomas de abstinência, quando a mesma é retirada.
     O álcool é uma droga como a heroína, a cocaína, o crack e outras, porque vicia, e altera o estado mental da pessoa que o utiliza, o alcoólatra também tem grande dificuldade de parar de beber, como não consegue abandonar a bebida, apresenta muitas vezes uma deterioração na saúde, na família, no trabalho e no círculo de amizades. Vale dizer que o alcoolismo é apenas uma das doenças causadas pelo álcool. Uma pessoa pode não desenvolver dependência e ter uma série de outros problemas de saúde, como a cirrose.
Cerca de 30% da humanidade, tem problemas provocados pelo álcool, contudo, uma em cada dez pessoas, jovens e velhos, brancos e negros, ateus e religiosos, intelectuais e analfabetos, pobres e ricos, homens ou mulheres desenvolvem plenamente a doença, causando, pelo seu comportamento imprevisível, desajustes, angústias, privações e sofrimentos a todos aqueles que os cercam.
      As indústrias de cervejas ao redor do mundo faturam em torno de R$ 20 bilhões por ano e gastam em publicidade mais de R$ 700 milhões. Sendo que o Brasil detém o primeiro lugar do mundo no consumo de destilados de cachaça e é o quinto maior produtor de cerveja da qual, só a AmBev, produz 35 milhões de garrafas por dia.
      Esses dados se tornam de grande importância para a igreja de Cristo porque vemos aqui um motivo de oração, para os grupos de oração da igreja, para que Deus tenha misericórdia e realize uma obra de mudança diminuindo essa realidade em nossa pátria.
O consumo de Álcool no Brasil dados divulgados em 19/05/2017 pela OMS (organização mundial da Saúde) cresceu 43,5% em dez anos e supera a média internacional. Em 2006 cada brasileiro a partir dos 15 anos de idade bebia o equivalente a 6.2 litros de álcool puro por ano. Em 2016 essa taxa chegou a 8,9 com isso o Brasil figura na 49° posição no ranking entre os 193 países avaliados.
      A Igreja de Cristo tem em suas mãos um grande desafio para mudar essa historia. É preciso conscientização da sua responsabilidade e levantar-se em oração para que tudo isso mude.

2 O QUE DIZ A BÍBLIA SOBRE O ÁLCOOL.

A - a bebedice e a falta de bom senso
     A Bíblia ver o alcoolismo, a bebedeira e outros vícios, como atos pecaminosos. O sábio Salomão falou: “O vinho é escarnecedor, e a bebida forte alvoroçadora; e todo aquele que neles errar não é sábio.” (Pv 20:1) o apostolo Paulo falou: “E não vos embriagueis com vinho, no qual há devassidão, mas enchei-vos do Espírito.” (Ef 5.18) Em Isaías 28.1, vemos a condenação de Efraim (Israel) pela soberba de seus embriagados. No mesmo capítulo, vemos que "até o sacerdote e o profeta erram por causa da bebida forte; são absorvidos do vinho" (Is. 28.7). A primeira embriaguez foi experimentada por Noé logo após o Dilúvio e causou um grande mal à sua família, resultando em maldição para seu filho Canaã (Gn. 9.21-25).

B - o triste caminho dos beberrões.
     "Ai dos que se levantam pela manhã e seguem a bebedice! E se demoram até à noite, até que o vinho os esquenta! Harpas, e alaúdes, e tamboris e pífaros, e vinho há nos seus banquetes; e não olham para a obra do SENHOR, nem consideram as obras das suas mãos" (Is. 5.11,12). Podemos observar que no passado em dias do profeta Isaías as festas já eram regadas a bebidas e quando os vinhos os esquentavam as pessoas se alegravam e com todo tipo de instrumentos se divertiam e se esqueciam do Senhor e não lembravam das obras das suas mãos. Seria isso diferente dos nossos  dias? Será que Depois de um dia ou uma noite de bebedice as pessoas se lembram das obras de Deus?

C - O sofrimento da ressaca
     Para  Salomão   os ais, os pesares, os problemas, as queixas, as feridas da alma como a culpa, a vergonha, os olhos vermelhos eram para os que bebiam vinho e outras bebidas misturadas e demoravam nas suas orgias de bebedices. Disse Salomão que a ressaca era como uma picada de cobra ou como de uma serpente venenosa. (basilisco). O texto nos diz também,  que o beberão perde os sentidos e  não diz coisas com coisas e a tonteira será como a de alguém que no meio do mar e a ânsia de vomito, lhe acompanhará e no dia seguinte estará como alguém que foi espancado. (Pv. 23: 29-35). Esse perigo apresentado de uma forma alegórica pelo sábio Salomão, mostra de uma forma objetiva o quanto a bebedice ou o alcoolismo pode ser prejudicial a um individuo bem como a toda sociedade.
     Percebemos nos nossos dias quantos acidentes tem sido causado e quantas vidas tem sido ceifadas por causa desse mal. Pessoas que bebem toda a noite e após uma noitada tomam seus carros e seguem sem direção, causando acidentes e levando tanto as suas famílias como as famílias de terceiros ao sofrimento.

D – mortes por causa do álcool
     A lei seca (lei 11.705/2008 tem ajudado a diminuir)
Os acidentes no trânsito. Dados da PRF (Polícia Rodoviária Federal) mostram ligeira redução no número de acidentes ocorridos por influência do álcool, após a lei ter estabelecido tolerância zero e aumentado o valor da multa para quem for flagrado embriagado ao volante, em 2012. Naquele ano, foram registrados 7.594 acidentes; no ano seguinte, 7.526; e, em 2014, 7.391.
Dados do Ministério da Saúde, divulgados em dezembro de 2015, também mostram redução no número de mortes em acidentes de trânsito. Em 2013, foram registradas 42.266 mortes e, em 2014, 40.294  – uma redução de 5%.
Apesar da redução no número de acidentes, o país está muito distante da média mundial de 8,3 mortes por grupo de 100 mil habitantes. Atualmente, o Brasil atingiu a taxa de 19,9 mortos por grupo de 100 mil habitantes - o menor índice desde 2010, mas ainda distante da meta do Plano Nacional de Redução de Acidentes, de 2011, de reduzir em pelo menos 50% o número de mortes no trânsito até 2020.

E – o sofrimento causado pelo álcool
     É notório que mesmo vendo os dados apresentados acima a bíblia também mostra alguns resultados desastrosos para os que seguem a bebedice. Vejamos: O texto sagrado diz que a bebida tem sido causadora muita zombaria e de muitas brigas (Pv. 20:1). Tudo isso temos visto em nossos dias. Diz também pra não estarmos entre aqueles que bebem.
 “Não estejas entre os beberrões de vinho, nem entre os comilões de carne. Porque o beberrão e o comilão caem em pobreza; e a sonolência cobrirá de trapos o homem.” (Pv. 23: 20-21). Foi o rei Lemuel que no capitulo 31 do livro de provérbios falou sobre os conselhos de sua mãe. Vejamos o que ele disse: Não é próprio dos reis, ó Lemuel, não é próprio dos reis beber vinho, nem dos príncipes o desejar bebida forte; Para que bebendo, se esqueçam da lei, e pervertam o direito de todos os aflitos.

3 BEBEDICES NO NOVO TESTAMENTO

A - O Alcoolismo no Novo Testamento.
      No novo testamento encontramos alguns textos sobre a bebida e os ensinamentos dos textos sagrados. Jesus em Caná da galileia transforma a água em vinho numa festa de casamento (Jo. 2; 1-11) Mas, foi o mesmo Jesus que advertindo sobre sua volta gloriosa, proferiu uma parábola sobre a vigilância e condenou o servo infiel, comedor, espancador, e beberrão dizendo que sua parte seria com os infiéis (Lc. 12.45,46). Jesus também disse que na sua vinda semelhantemente ao que antecedeu ao diluvio, as pessoas estariam entregues a bebedices. (Mt. 24: 37-38)  O apóstolo Paulo colocou no mesmo nível de condenação os bêbados, os devassos, os idólatras, os homossexuais, e os ladrões, os quais não herdarão o reino de Deus (1 Co. 6.9,10. Ver Rm. 13.13).  A bebedice estar anotada no novo tentamento como uma obra da Carne (Gl. 5: 19-21) diz também, que as obras da carne são opostas as obras do espirito (GL. 5; 16-17)  o apostolo Pedro mostra a bebedice como uma prática dos gentios. (leia-se pessoas que não fazem parte da igreja de Cristo.  (1 Pe. 4.3-5). Portanto, percebemos que tanto  o antigo como o novo testamento, a recomendação bíblia é que nos apartemos da bebida e nos aproximemos do Espirito Santo. (Ef. 5: 18)
     Entendemos, portanto que a bíblia não recomenda e nem permite que o cristão viva uma vida dissoluta. Antes deve buscar a Deus (Is. 55.6), para viver uma vida em santidade (Jo. 17.17) se afastando de toda bebedice e de toda roda dos escarnecedores (Sl. 1: 1-2). Fazendo assim o Cristão terá a benção de Deus e promoverá a alegria de sua família, esposa e filhos.

4 COMPORTAMENTO ÉTICO CRISTÃO PARA OS NOSSOS DIAS.

     Segundo o ensino das Escrituras, o cristão não tem outra alternativa a não ser reprovar de modo claro e direto o uso de bebidas alcoólicas. Grande parte dos acidentes de trânsito são provocados por motoristas alcoolizados; cerca de 80% das agressões têm na bebida sua motivação; Nossos hospitais estão sobrecarregados de pessoas doentes e acidentadas na maioria dos casos por causa do álcool. Portanto não podemos fazer Concessões. O cristão não deve tomar vinho, cerveja, champanhe ou qualquer outra bebida, considerada leve, tendo em vista os males físicos, sociais, morais e espirituais que envolve tal prática. Lembremo-nos de que "o Reino de Deus não é comida nem bebida, mas justiça, e paz, e alegria no Espírito Santo" (Rm. 14.17).
 Em (1 Co 6.19) diz que nosso corpo é santuário do Espirito Santo e que não somos de nós mesmo, já que entendemos que somos santuários de Deus, podemos entender orientados pela palavra de Deus que o servo do Senhor não deve se envolver com essa pratica pecaminosa. Antes deve viver uma vida plena na presença de Deus.
       Jesus que é o exemplo da sua igreja e de todo cristão confesso quando estava na cruz lhe ofereceram uma bebida a base de uma mistura de vinho com, fel, para que a sua dores fossem aliviada mas, o nosso Cristo se recusou a beber (Mt. 27: 34).
      Cristo nos ensina nessa passagem que não podemos participar daquilo que possa nos trazer sofrimento e injuria das pessoas.

CONCLUSÃO
     Observamos nessa lição que  o estudo do assunto alcoolismo dentro de uma visão ética bíblica, tem uma  importância fundamental para a igreja. Nossos, membros devem estar cientes dos males que essa droga chamada alcoolismo tem trazido no decorrer dos anos. Observamos que desde o antigo tentamento, esse mal, tem sido combatido pelo povo de Deus. É de grande importância estarmos cientes dos malefícios dessa droga, para que possamos estar preparados para podermos ensinar a palavra de Deus nos nossos trabalhos de evangelização.
      Hoje já vemos diariamente nos meios de comunicação quantas vidas tem sido ceifada por causa do alcoolismo, famílias tem ficado desamparadas, filhos sem pais, mulheres sem maridos, por causa dessa doença.
      Não podemos cruzar os braços como igreja de Cristo, precisamos levantar sempre em oração para que Deus amenize os problemas da nossa nação. Entendemos que temos um papel social fundamental, tanto na propagação do evangelho como na evangelização para que muitas vidas sejam curadas dessa terrível doença chamada alcoolismo.


Pastor Roilton Alves

Postagens mais visitadas